O que é a European Spearfishing Records Association

Muitos Pescadores Submarinos já se cruzaram diversas vezes, no seio de um grupo nas redes sociais ou noutro canal de comunicação utilizado na comunidade, com o nome European Spearfishing Records Association.

Apesar do seu nome ser bastante claro relativamente à sua principal função, a European Spearfishing Records Association, ou ESRA como é também conhecida,  executa também outras funções em torno da sua principal, funções essas que o PortugalSub procura agora aqui desvendar neste artigo, resultante da conversa com um dos seus membros fundadores.

A European Spearfishing Records Association (ESRA)

A ESRA é uma associação sem fins lucrativos, sediada em França desde Março de 2015, e apresenta-se como uma organização que procura promover os mais altos valores éticos e desportivos na Pesca Submarina, através da criação e aplicação de regulamentos que permitam a aprovação de capturas excepcionais e a avaliação e validação destas capturas como Records Europeus. Procura também desenvolver as suas acções em colaboração com organizações científicas e ambientais, promovendo as práticas da Pesca Submarina que vão de encontro com os mais altos requisitos éticos, científicos e ambientais, através da educação e promoção do espírito da selectividade e da responsabilidade ecológica na Pesca Submarina.

A ESRA por David de Carvalho

Para conhecer mais detalhes da missão e funções da European Spearfishing Records Association, o PortugalSub esteve à conversa com David de Carvalho, membro da ESRA e parte integrante do grupo inicial que fundou a Associação em Março de 2015.

A história

Como David de Carvalho contou ao PortugalSub, a ESRA foi um projecto que nasceu, à cerca de dois anos, da vontade de vários Caçadores Submarinos de diversos países (França, Espanha, Portugal e Grécia). Para desenvolver o projecto e conferir à organização resultante âmbito Europeu, vários convites foram endereçados a diversos países. Esta iniciativa ao nível institucional partiu das três Federações Francesas, mas não como uma participação oficial, mas sim na pessoa dos seus dirigentes que se tornaram membros da ESRA, como também se veio a verificar no caso da Espanha.

Os restantes membros não eram dirigentes federativos, como os mencionados anteriormente, mas sim Caçadores Submarinos que foram convidados pela sua postura e atitude perante a Caça Submarina, outros pela anterior e por estarem ligados de forma institucional a associações de Caça Submarina, entre outros. Também foram convidadas pessoas implicadas em acções ligadas ao ambiente, por exemplo existem diversos biólogos. O Objectivo foi reunir pessoas que no fundo correspondessem a um perfil de juiz, que no fundo é o que os membros da ESRA são, juízes na avaliação das candidaturas a record.

Os objectivos

Segundo David de Carvalho, o principal objectivo da ESRA é a homologação de records de capturas a nível Europeu, tendo por base as regras implementadas pela International Underwater Spearfishing Association (IUSA) que homologa os records a nível mundial. Paralelamente, pretende-se também reforçar os laços entre a comunidade de Caçadores Submarinos Europeus e as instituições científicas ligadas ao mar e também sensibilizar os Caçadores Submarinos, de uma forma geral, para uma caça selectiva e para a responsabilidade ambiental.

Não se enquadram nos objectivos da ESRA, segundo David de Carvalho, a competição oficial da modalidade, não existe paralelo entre os records e a competição.

Ligações ESRA

É a ESRA uma associação independente?

“Associação de âmbito Europeu, sediada em França, independente pois não está ligada a nenhum ministério, nenhuma organização Europeia, nenhuma Federação, nem nenhuma outra instituição. Formalizou-se como um grupo de indivíduos independentes, embora muitos deles tenham ligações a instituições, com já mencionado.”

A ESRA possui reconhecimento de alguma organização oficial de Pesca Submarina?

“Existe um laço institucional com a IUSA, mas de resto não é uma Associação Federada a qualquer organismo oficial Europeu ou outro. Não existe um reconhecimento formal, dessas instituições/organizações, da ESRA como entidade oficial para registar os records, nem tem de haver, isso nunca foi procurado nem há essa necessidade. O que existe é que a ESRA é legalmente constituída e é reconhecida pela sua própria actividade.”

Um tema que marcou constantemente presença durante a conversa foi a proximidade entre a ESRA e a International Underwater Spearfishing Association (IUSA). Segundo David de Carvalho, existe um laço institucional que naturalmente tende-se a transformar numa maior proximidade. O objectivo relativamente a esta relação, no início e a médio prazo, era a criação de automatismos entre as duas organizações para a homologação dos records. Tal objectivo ainda não foi possível implementar devido à diferença cultural entre os Americanos e os Europeus.

Na IUSA, sempre que um Caçador Submarino pretende homologar um record do mundo, tem de pagar obrigatoriamente 35 dólares, venha este a ser homologado ou não.  Esta ideia não está em sintonia com os objectivos da ESRA nem com o espírito Europeu, pois se o Caçador Submarino capturou um peixe record, ele deverá ter direito a esse título, quer pague ou não. Defendendo este princípio, a ESRA criou essa gratuitidade da homologação do record Europeu. Posteriormente, se o Caçador Submarino quiser um diploma desse mesmo record, então nesse caso pagará o diploma, ou seja, quer obtenha ou não o diploma, o record Europeu será sempre registado sem custo.

Esta diferença de abordagem tem impedido um total automatismo dos records Europeus e Mundiais entre a ESRA e a IUSA. Muito trabalho e um contacto permanente tem sido realizado no sentido de, entre outros assuntos, arranjar uma forma de equiparação automática com os records da IUSA, mas isso implicará que a mesma abandone, pelo menos para a Europa, a obrigatoriedade do pagamento. Regras mais próximas, a esse nível, entre a ESRA e a IUSA ainda são uma esperança para David de Carvalho.

Os records

O PortugalSub também questionou David de Carvalho sobre quem poderia registar records junto da European Spearfishing Records Association, ao qual ele respondeu que qualquer pessoa pode registar a sua captura Europeia. Mas que para que haja um registo positivo, existem regras de homologação a cumprir que são as mesmas utilizadas para registar um record do mundo, ou seja, as regras são iguais entre a ESRA e a IUSA e encontram-se consultáveis na página oficial da ESRA.

Segundo David de Carvalho, a regulamentação neste processo basicamente pretende que o Caçador Submarino faça prova de que pesou o peixe numa balança devidamente calibrada, verificar que a calibragem da balança está válida, que a pesagem foi acompanhada de testemunhas, que o peixe foi capturado em condições legais e em termos de ética de Pesca Submarina, entre outros. Normalmente em cada país existem membros/juízes da ESRA que acompanham esse processo e que estão disponíveis para ajudar. É frequente acontecer, quando um Caçador Submarino quer registar um record e não sabe o que fazer, o delegado do país em causa ajuda e explica o processo para que se faça o necessário para homologar o record.

Como se pode contactar esses delegados locais?

“Por Email, através da nossa página, directamente, através do Facebook ou de outra forma, qualquer um está disponível. Inclusivamente, em Espanha, tem acontecido que são os próprios caçadores que já homologaram records que também ajudam outros Caçadores Submarinos no processo. No fundo o processo não é complicado, pode-se contactar directamente a ESRA e nós encaminhamos para um delegado do país para ajudar. Em Portugal, por exemplo, estão dois membros destacados, apesar de eu ser de origem Portuguesa, o Paulo Afonso nos Açores e o António Mourinha no continente. O Paulo Afonso além de ser Juiz, ele próprio tem vários records registados. Eles conhecem bem o procedimento para ajudar ou mesmo eu próprio, pois falo e compreendo Português.”

Questionado sobre o processo que uma candidatura passa para ser homologada, David de Carvalho explica que depois de submetido o record à ESRA, o papel dos juízes é de apenas verificar se a candidatura da captura está em ordem e se responde positivamente a todas as regras, que são as mesmas tanto para o record Europeu como para o Mundial. Depois desse processo, emitem um parecer positivo e o record é homologado.

Caso falte algum dado na candidatura, o Caçador Submarino é ajudado para corrigir essa falta, por exemplo, se faltar a cópia do certificado da balança, é passada a informação para se obter essa cópia junto do dono da balança, ou mesmo a preencher a documentação. Cada candidatura submetida passa por todos os membros da associação e todos têm de se pronunciar, pois a ESRA não é uma associação pública, ou seja, não é aberta ao público em geral mas é um grupo de indivíduos de vários países, que exercem o papel de juízes. O facto de a European Spearfishing Records Association não ser uma associação pública aberta é porque não faz sentido, pois para ser operacional, um grupo de 20 pessoas decide mais facilmente do que um grupo de 200 pessoas.

Quando a ESRA homologa um record Europeu, mas este é também Mundial, o que é necessário fazer?

“Não é preciso fazer mais nada, portanto não precisa de preencher qualquer tipo de documento. Todo o dossier ESRA entra directamente na IUSA, desde que se faça o pagamento imposto pela IUSA. Se as regras entre a ESRA e a IUSA fossem diferentes era mais complicado pois não poderia ser automaticamente equiparado, mas como são iguais, a partir do momento em que é record ESRA, sabe-se logo à partida que estão cumpridas as regras IUSA e o inverso também.”

ESRA e a comunidade

Apesar dos seus dois anos de vida, o PortugalSub questionou David de Carvalho sobre o facto de a ESRA ainda ser um pouco desconhecida no seio da comunidade de Pesca Submarina. Segundo o próprio, a ESRA não é uma organização comercial logo não tem por objectivo vender ou promover nada em particular. A ESRA presta um serviço que foi colocado à disposição da comunidade para quem pretender homologar os seus records. A ESRA não se tenta promover ou mostrar, provavelmente o desconhecimento provém desse mesmo facto, mas nos dois últimos anos as pessoas já começam a ter conhecimento de que existe uma entidade a nível Europeu para a homologação de records.

A ideia era o preenchimento de um vazio em relação aos records do mundo, por exemplo os Australianos têm um organismo de certificação dos records Australianos, pois fazia falta a Europa possuir também um organismo local para os records Europeus.

David de Carvalho reforçou ainda que gostaria que a ESRA contribuísse para o aumento da cultura do record, à semelhança dos Americanos, na Europa, que actualmente é reduzida, pois está convencido que esse facto também ajuda a imagem da Caça Submarina, que não é uma modalidade de quantidade mas de qualidade.

Em suma, segundo David de Carvalho, não existe vontade de publicitar, essa necessidade não existe, antes pelo contrário, a ESRA procura fazer um trabalho discreto e o melhor possível.

Contactos ESRA

É possível entrar em contacto com a ESRA através da página oficial do Facebook da ESRA, através do seu endereço de correio electrónico [email protected] ou também através da sua página da Internet em www.esrarecords.kingeshop.com.

Imagens: ESRA

Comentários